03 abril, 2009

O ACORDO

abre a carranca
num sorriso doce
num olhar malandro
e sempre fala alguma merda

mas eu gosto

afrouxa o discurso
numa piada doce
polvilha entrelinhas
para que eu monte o quebra cabeça

e eu monto

compete comigo
de cabo a rabo
só não é mais vaidoso
que godê-pavão em férias por paris

e eu deixo

desmancha a guarda
num abraço tremido
num agarro matinal
e tomba cambaio em elogios ao pé do ouvido

e eu caio

O ACORDE

02 abril, 2009

filhadaputagem

fazer valer a pena não é ser fdp. vai andando sem rumo um pouco, perde o controle, fecha os olhos. uau. não existe controle para se perder. eu seria o cara precipitado há pouco tempo atrás. parece que eu envelheci há muitos anos. no fundo ainda sobra aquela parte que queria mandar um foda-se pra tudo. as paredes são de papelão. a memória ressoa no amargo do estômago daqueles dias de fossa. comer uma bunda: efeito aspirina quando a dor é câncer. na frente minha aqueles olhos. jogo meus dentes fora. você me vê sorrindo e é tarde. ou talvez eu não entenda nada sobre o tempo. porque me sinto velho de viver. e jovem demais de paixão.