04 maio, 2008

lembendo sílulas

tatipontocom@hotmail.com diz:

poucas palavras

por onde tudo saia

pulo do gato, rabo de arraia



continua...



André Vinícius diz:

conte comigo nua

palavra que já vem

de encontro à rua



chove no átrio

daquela capitania

enquanto desfolho a via

por onde ando vário



tatipontocom@hotmail.com diz:

palavra hiato



André Vinícius diz:

não paga o pato

de haver distância consonantal

entre corpos só vogais



tatipontocom@hotmail.com diz:

entre pingos, ais



André Vinícius diz:

e o enlaçar de sílabas

nos cabelos das vírgulas

hipóteses de mar



tatipontocom@hotmail.com diz:

reticências lambendo areia



André Vinícius diz:

lambendo

lambendo

até areia cantar



tatipontocom@hotmail.com diz:

já é de manhã



André Vinícius diz:

e o galo sou eu

depois de cocoricar

durmo nos braços de morfeu

sou da madrugada



tatipontocom@hotmail.com diz:

hi...fudeu

não me resisto ao sonho



André Vinícius diz:

de ver meus irmãos

chico, zé e totonho

escrevendo no chão

palavras mágicas

que me farão

compor o poema

que quebra a solidão

silenciosa e outonal



tatipontocom@hotmail.com diz:

do velho sobrado

da observação



André Vinícius diz:

casa colonial

da observação

campo geral

da observação

ponto final

na observação

totalmente cega de nós dois



tatipontocom@hotmail.com diz:

observar é mais que temporal



André Vinícius diz:

é redemoinho

é brilho da lua

é carnaval



tatipontocom@hotmail.com diz:

dança de salão

chão de barro

pé no chão

onde vai dar essa valsa?



André Vinícius diz:

por aí se vai

se ama e cai

nos canaviais



tatipontocom@hotmail.com diz:

indo

da noite infinda

(vou ler lá d cima)



André Vinícius diz:

(depois me conta o que leu)



tatipontocom@hotmail.com diz:

li um redemunho!

bão!



André Vinícius diz:

Ameríndia...

rosto de não se ver

mapa de minhas mãos

bússula e segredo

(arroubo de canção)



tatipontocom@hotmail.com diz:

girassol meu brinquedo

acaso dos passos

sentido ao avesso

atropelo e começo



André Vinícius diz:

sem fim vai chegando

vem bem devagar

colo do sossego



tatipontocom@hotmail.com diz:

anunciação



André Vinícius diz:

e caricia do mar

(tesão)



tatipontocom@hotmail.com diz:

por entre os dedos



André Vinícius diz:

escorrem notas

toques musicais



tatipontocom@hotmail.com diz:

borrando o silêncio



André Vinícius diz:

catando a poesia

feito um ladrão

mexendo em papéis

sorvendo o chão

que é de manhã

e não tem mais não

até ela voltar

até ele chegar

até ela chegar

até ele voltar...



tatipontocom@hotmail.com diz:

ao epicentro do poema

Nenhum comentário: